Moldagem

A moldagem é um procedimento que permite confeccionar uma restauração indireta sobre um modelo. A precisão deste modelo é fundamental para conseguirmos uma restauração que uma vez cimentada no dente impeça a infiltração de bactérias que poderiam levar a formação de uma lesão cariosa.

A cárie é o principal fator causador dos fracassos em restaurações indiretas.

Vários materiais podem ser utilizados para confeccionarmos um molde sobre o qual o técnico de laboratório constrói a prótese.

Na aula abaixo descrevemos a mercaptana.

Mercatana: Permlastic; Unilastic, Coe Flex

A mercaptana é um material de larga utilização principalmente em função do baixo preço.

Este material também é chamado de Polisulfeto e apresenta uma polimerização lenta. A polimerização continua mesmo após a polimerização clínica. Em virtude disto este material é relativamente lento para desenvolver a elasticidade. A polimerização é do tipo condensação produzindo como subproduto a água que após evaporar produz uma acentuada contração do molde. A contração que ocorre na moldeira se desenvolve em direção às paredes, de tal forma que o modelo resultante é mais largo em diâmetro e mais curto em altura do que o dente preparado. Apesar da contração apresentada a mercaptana apresenta uma precisão aceitável clinicamente caso o molde seja vazado em um período de até 30 minutos após a moldagem(PURTON, 1988). Os polisulfetos apresentam boas propriedades de escoamento, alta flexibilidade e resistência ao rasgamento e ainda são ligeiramente hidrofílicos dessa forma apresentam boa reprodução de detalhes na presença de umidade.

A utilização deste material ocorre principalmente em conjunto com a técnica de moldagem com casquetes individuais.

………………………………………………………………………………………….

……………………………………………………………………………………………….

………………………………………………………………………………………………………………………..

………………………………………………………………………………………………………………………..

A técnica de afastamento gengival com casquetes é uma técnica muito difundida em algumas regiões do Brasil. Esta técnica apresenta a vantagem da previsibilidade do resultado final. Uma vez que conseguimos moldar o interior do sulco gengival com o casquete, o término cervical será reproduzido com o material de moldagem.

O casquete produzido com esta técnica tem a função de conduzir o material de moldagem e afastar a gengiva permitindo que este material entre em contato com término cervical posicionado subgengivalmente.

Encontraremos dois grandes obstáculo durante sua confecção: o posicionamento e a quantidade de inflamação da gengiva e a anatomia do preparo.

- o posicionamento da gengiva pode impedir ou mascarar a confecção da moldagem do sulco gengival. Geralmente isto ocorre devido a uma má adaptação da provisória. Se a provisória não apresenta um perfil de emergência correto a gengiva ocupa o espaço deixado por ela. A gengiva então se posiciona sobre o término cervical. Quando colocamos a resina acrílica para moldar esta região a gengiva impede a penetração no sulco gengival e além do mais faz com que o casquete assim confeccionado apresente uma característica muitas vezes enganosa, passando a impressão de que houve a cópia do sulco quando na verdade o que observamos é a cópia da gengiva acomodada sobre o término cervical.

O perfil de emergência deficiente também favorece o acúmulo de placa bacteriana na provisória e conseqüentemente ocorre a inflamação da gengiva da região. Esta inflamação apresenta uma gengiva que libera muito exsudato que impede ou dificulta o moldagem do sulco gengival. Somente um gengiva saudável apresenta um sulco gengival seco e em condições de ser copiado. Diante desta situação devemos corrigir o posicionamento da gengiva e a anatomia do perfil de emergência para fazermos o casquete e a moldagem.

- A anatomia do preparo na região do término cervical é um fator que impede mecanicamente a penetração da resina no interior do sulco gengival. Quando desgastamos o dente nesta região geralmente utilizamos uma ponta diamantada com diâmetro de 1,2 mm (3216, 2215, 2133, etc…), no entanto, em algumas situações o desgaste é maior e isto produz um término com uma anatomia quase circular. Este tipo de término produz um fluxo de resina quando esta é pressionada contra ele, que descreve uma direção contrária a direção de penetração no sulco gengival. Para conseguirmos moldar esta região então, é necessário que o término seja corrigido e que seja estabelecido um término em chanfrado. O chanfrado favorece o escoamento da resina e a penetração desta no interior do sulco gengival.

Abaixo descrevemos a técnica de confecção do casquete:

…………………………………………………………………………………….

………………………………………………………………………………………….

………………………………………………………………………………………………………………

Polieter: Impregum F; Impregum Soft

Outro material largamente utilizado, principalmente no mercado brasileiro é o Polieter.

O polieter é um material de moldagem de rápida polimerização que registra a superfície do dente preparado de forma precisa e acurada e tem boa recuperação elástica à deformação devido ao alto nível de ligações cruzadas na cadeia polimérica. A reação de polimerização é do tipo por adição e não forma subprodutos. Vários experimentos têm demonstrado que o polieter pode ser estocado por vários dias após a moldagem e manter a precisão dos detalhes reproduzidos sem alterações dimensionais significativas. No entanto, o molde pode absorver água durante o período de estocagem introduzindo alterações dimensionais significativas clinicamente. Este material apresenta baixa resistência ao rasgamento sendo considerado inadequado para moldagem de grandes regiões com pouca espessura(PURTON, 1988).

Este material pode ser utilizado de forma semelhante a mercaptana. Pode ser utilizado, principalmente na técnica do casquete .

A aula abaixo descreve este material, o Polieter.

…………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………….

………………………………………………………………………………………………………………………..

Este video demonstra um caso clínico de moldagem com casquete de duas coroas anteriores. O tipo de gengiva e o tipo de preparo dentário, não permitiam que a moldagem fosse realizada com outro meio de afastamento gengival. Uma grande vantagem do casquete é que ele permite a moldagem correta mesmo em situações menos favoráveis.

Temos observado um hábito entre os estudantes e profissionais que procuram cursos de aperfeiçoamento, o de realizar o preparo subgengival em todo o perímetro do dente. Este procedimento dificulta o tratamento e muitas vezes induz o profissional a erros que levam ao fracasso do tratamento. Mesmo quando planejamos moldar com casquete deveríamos evitar o posicionamento subgengival em áreas como a face palatina e os dois terços das faces proximais.

Este preparo com a maior parte supragengival facilita o trabalho e pode ser fundamental para o sucesso do tratamento.

………………………………………………………………………………………

………………………………………………………………………………………..

Silicona de Adição: Aquasil; Panasil; Extrude; Adsil; Presidente; Elite

A silicona de adição oferece a versatilidade de poder ser utilizada em praticamente todas as técnicas. Isto pode ser uma vantagem determinante em relação aos outros materiais.

Este material é considerado o mais preciso e dimensionalmente mais estável de todos os elastômeros existentes comercialmente. Eles possuem excelente recuperação elástica, podem ser estocados por longos períodos sem perda de fidelidade e possuem uma resistência moderada ao rasgamento. Alguns polivinil siloxanos como também são conhecidos liberam hidrogênio que pode provocar a formação de bolhas nos modelos obtidos durante este processo. Alguns fabricantes solucionaram este problema adicionando paladium um receptor de hidrogênio na sua composição(PURTON, 1988).

……………………………………………………………………………………….

………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………………………..

Casos clínicos:

Apesar da popularidade da técnica do casquete observada em algumas regiões do Brasil, esta apresenta limitações principalmente em preparos parciais. As áreas retentivas que são mantidas intactas nos preparos parciais impedem a aplicação desta técnica.

O afastamento gengival realizado com fios de afastamento gengival é uma técnica pouco dominada onde predomina a técnica do casquete. No entanto, a técnica de afastamento gengival com fio e substâncias químicas quando bem aplicadas podem superar a técnica do casquete em muitos aspectos.

Um protocolo bem definido pode diminuir o número de sessões necessárias para concluir o caso clínico. Normalmente a técnica do casquete exige a prova do coping e uma moldagem de transferência. Esta etapa pode ser eliminada se utilizarmos a técnica de moldagem com silicona de adição e fio de afastamento gengival.

O molde assim obtido, em função das propriedades do material de moldagem, pode ser vazado com gesso até três vezes, isto permite que o técnico laboratorial utilize um molde para troquelização e confecção do coping, um modelo para confecção da porcelana e outro de reserva.

O protético dessa forma, pode entregar a prótese pronta para ajustarmos e cimentarmos eliminando até duas sessões se utilizarmos o polimento mecânico, que em minha opinião é superior ao glaze do ponto de vista estético.

Se levarmos em consideração que o custo de uma sessão é superior ao custo mais elevado do material chegaremos a conclusão que podemos tirar vantagem destas características do material.

…………………………………………………………………………………………

…………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………………………….

As moldeiras do tipo Moldex(Angelus) são bastante práticas, pois em uma mesma etapa de moldagem poderemos obter dois modelos um superior e outro inferior, além do mais devido a moldagem ser registrada com os dentes em oclusão, podemos conseguir o relacionamento oclusal tudo em uma mesma etapa operatória.

……………………………………………………………………………………………..

………………………………………………………………………………………………

Técnica de afastamento gengival com duplo fio:

Esta técnica foi desenvolvida para aperfeiçoar a técnica de afastamento com fio único.

Isto na realidade evidencia a dificuldade de moldagem usando afastamento gengival com fio e substância química . Esta técnica é muito dependente do tipo de preparo executado.

Preparo do término cervical é um ponto crítico e deveria ser executado meticulosamente para não prejudicar o desenvolvimento das outras etapas operatórias.

O término deveria ser posicionado 0,5 mm no interior do sulco gengival, não mais do que isto, caso contrário ficará muito difícil moldar usando a técnica de afastamento com fio. Outro ponto importante é que isto se restrinja somente à face vestibular e um terço vestibular das faces proximais. Dessa forma conseguiremos obter sucesso nos procedimentos de moldagem pela técnica de afastamento gengival com duplo fio.

O ponto forte para a indicação de moldagem pela técnica de afastamento gengival com fio e uso da silicona de adição reside no protocolo que ela possibilita. Por esta técnica conseguimos maior conforto para o paciente, diminuindo o número de sessões operatórias. Outro efeito decorrente do número menor de sessões é a diminuição do custo operacional.

Por esta técnica eliminamos a necessidade de uma sessão para moldagem de transferência e uma sessão para aplicação do glaze. Uma vez combinado com o técnico de laboratório esta técnica fornece recursos para recebermos o trabalho completo e qualquer ajuste pode ser executado diretamente na boca do paciente.

O vídeo abaixo demonstra o afastamento de quatro dentes anteriores preparado para confeccionarmos coroas pelo sistema Procera.

………………………………………………………………………………………….

…………………………………………………………………………………………..

O professor Eduardo Batista Franco é professor Titular da Faculdade de Odontologia de Bauru – USP, recentemente o professor Eduardo defendeu o Titulo de Professor Titular do Departamento Materiais Dentários, Endodontia e Dentística. Atualmente o Professor Eduardo é o Chefe do Departamento e concedeu esta entrevista sobre as principais dúvidas sobre as técnicas de moldagem. Obrigado Professor Eduardo pela colaboração!!!!

……………………………………………………………………………….

………………………………………………………………………………

O vídeo abaixo é continuação do anterior

……………………………………………………………………………………

…………………………………………………………………………………….

O vídeo abaixo é continuação do anterior.

………………………………………………………………………………………..

…………………………………………………………………………………………..

O vídeo abaixo é continuação do anterior.

………………………………………………………………………………………….

14 thoughts on “Moldagem

  1. Muito bom o blog, videos explicativos de grande nivel !Parabéms. Só que não consigui visualizar os videos que queria muito. Os de moldagens. Da uma olhadinha aí no porque. Abraços !

  2. Corrigindo os erros, parabéns e consegui.

    O video que estava me referindo é o da confecção dos casquetes. Poderia me enviar por e-mail?

  3. Parabéns pelo Blog! Muito interessante e prestativo! Principalmente para profissionais como eu (recém formados), nos ajudando a relembrar detalhes de procedimentos da faculdade, já que não temos tanto tempo clínico pós-formados!
    Vou colocar um link no meu website. Ok?
    Abraço!

  4. Olá!!! Muito bom esse vídeo de moldagem em que o Prof. Dr. Eduardo Batista Franco esclarece as dúvidas e informa os benefícios dos diversos tipos e técnicas de moldagem. Parabéns… e obrigado pelos conhecimentos gerados.

  5. Muito bom seu artigo de moldagens, gostaria de ver seus vídeos , assim como fotos expositoras da sequencia de moldagem. Poderia enviar para meu e-mail? grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s