Você sabia que?!?!?!

Confecção de Restaurações Dentárias Utilizando Moldagens Digitais

(por SCOTT HENKEL – Técnico em Prótese Certificado, Estados Unidos)

Segundo HENKEL, com esforço conjunto e cooperação mútua entre dentista e laboratório, as moldagens digitais podem se tornar um dos fatores mais poderosos e importantes para uma odontologia de excelência.

É preciso que dentistas e técnicos reconheçam que as moldagens tradicionais deixaram de ter qualidades de destaque. Em cada uma das diversas etapas da fabricação de próteses fixas perde-se a fidelidade da moldagem original. Uma rápida análise do processo ilustra essa questão.

O dentista começa o processo fazendo o preparo, que é um positivo. Depois, faz uma moldagem(com material que contrai) do preparo, que agora é um negativo. Em seguida, ele verte o gesso(um material que expande) no molde obtendo novamente um positivo. Depois disso, executa-se um padrão de cera(que novamente expande) sobre o troquel e este padrão é incluído em material de revestimento(que expande). Durante o processo de queima da cera, ele se torna um negativo novamente. Nesse momento, o espaço vazio do revestimento é preenchido por centrifugação pela liga metálica(que quando esfria se contrai) escolhida, o que resulta em um positivo novamente. Nesse processo de fabricação, o caso passa por positivo e negativo algumas vezes. A cada etapa perde-se a fidelidade em relação ao original.

A Cadent Inc., com sede em Carlstadt, Nova Jérsei, desenvolveu o iTero, um sistema de moldagem digital que utiliza um Figura 1 scanner intraoral exclusivo (figura 1).

A seguir, exemplificamos como o sistema iTero funciona na teoria e na prática.

O sistema iTero da Cadent é composto de um scanner intraoral, uma estação de trabalho CAD no laboratório dentário e uma central de apoio à produção da Cadent. O sistema de moldagem digital iTero é um sistema portátil, que pode ser facilmente levado de um consultório a outro.

O sistema inclui um computador para processamento de dados. Utiliza conexão via internet sem fio para transmitir os dados às instalações da Cadent, onde são confeccionados os modelos e os troquéis.

À primeira vista, o scanner intraoral parece grande. Entretanto, a parte que entra na boca do paciente é pequena e alcança facilmente qualquer parte da boca (figura 2). Apesar de parecer difícil, permite fácil acesso aos segundos molares. Usa-se um protetor descartável na cabeça do scanner que é trocado pelo dentista depois de cada paciente.

Figura 2Não é necessária nenhuma técnica especial para preparar o dente a ser restaurado. O dentista pode trabalhar normalmente com os tecidos e secreções. Ao contrário de outros equipamentos de scanner intraoral que usam uma camada de pó opaco para obter uma precisão ótima, o scanner iTero não necessita de nenhuma cobertura em spray.

O campo de visão para o equipamento não precisa estar a uma distância definida a cada momento. A tecnologia da cabeça do scanner permite que o usuário a encoste no dente ou a coloque sobre ele sem encostar e utiliza um telêmetro embutido que encontra o foco automaticamente. Com uma precisão de até 15 nanômetros, consegue-se capturar o formato da dentição de maneira fiel e indolor.

Para fazer uma moldagem digital, primeiramente o dentista ou o assistente preenche um formulário de prescrição na tela para que o sistema iTero desenvolva instantaneamente uma sequência de escaneamento personalizada para o caso específico. Usando prompts de áudio, o sistema pergunta ao dentista que tipo de material será usado para a confecção da restauração, que tipo de linha de término terá o preparo, cor, cor do preparo (se necessário), e qualquer instrução especial. O sistema gera opções que permitem ao usuário selecionar diferentes opções para fornecer as informações necessárias ao técnico de laboratório.

Orientado por prompts visuais e de áudio e operando um pedal sem fio, o dentista executa a sequência de escaneamento, durante a qual o sistema de computador vai juntando as imagens da área alvo e os dentes adjacentes em um modelo digital em tempo real. Se for desejo do dentista, o assistente pode escanear o arco oposto antes de o dentista entrar no consultório e começar o preparo. O scanner consegue capturar praticamente qualquer tipo de preparo e o registro oclusal. O paciente fecha em oclusão cêntrica e são feitas duas tomadas perpendiculares ao longo do eixo dos dentes no plano oclusal.

O modelo digital aumentado é apresentado em um display de tela plana juntamente com ferramentas analíticas em tempo real que chamam a atenção às áreas que precisam de ajuste (figura 3). Por exemplo, o iTero mostra ao operador se há necessidade de mais espaçamento oclusal. Isso tudo acontece em apenas três a quatro minutos. Figura 3

Depois de uma rápida análise do modelo digital, o dentista pode determinar se algum desgaste a mais é necessário ou se o tecido mole pode estar encobrindo algum término de preparo. Se necessário, o dentista pode fazer os ajustes apropriados e escaneamentos adicionais antes de enviar o arquivo digital à sede da Cadent, onde ele será examinado, sendo deletada qualquer informação desnecessária. Posteriormente, o arquivo digital é enviado ao laboratório dentário participante escolhido pelo dentista.

O técnico examina o caso e avalia o arquivo conferindo se está completo e preciso. No caso de o técnico achar fundamental fazer algum ajuste, ele telefona para o clínico e os dois podem visualizar e analisar o arquivo simultaneamente. Depois de finalizado o desenho auxiliado por computador (CAD-computer-aided design), o técnico o envia para a Cadent (figura 4).

FIgura 4Os modelos, os tróqueis removíveis e os copings são produzidos no centro de produção da Cadent usando uma fresadora de cinco eixos com Controle Numérico Computadorizado Haas, que consegue manter uma precisão constante e em alta velocidade. As peças são usinadas em um material próprio exclusivo extremamente forte, leve e à prova de abrasão (figuras 5 e 6). O troquel e o modelo são enviados ao laboratório dentário para que o técnico confeccione a restauração.

Uma moldagem satisfatória produz um modelo e um troquel inferiores ao ideal devido à necessidade de algum tipo de modificação ou análise adicional. Quase todos os laboratórios recebem esse tipo de moldagem diariamente. Uma moldagem inaceitável produz um modelo e um troquel em que não se consegue definir o limite do preparo, e onde a moldagem cria umaFigura 6 distorção que torna impossível confeccionar uma restauração com alguma chance de sucesso.

A odontologia digital está aí e estabelecendo um padrão de excelência mais alto para clínicos e técnicos, é fundamental que dentistas e técnicos dentários fiquem mais atentos para esse tipo de tecnologia.

……………………………………………………………………………….

……………………………………………………………………………

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s