Ensino a distância – deu no Estadão.

O jornal O Estado de São Paulo publicou, nesta segunda-feira, 24 de novembro, editorial na página A3, com o título “O MEC e o ensino a distância” , onde observa que a entidade tem aumentado o rigor com os cursos não presenciais. As atividades de 1,3 mil centros de ensino a distância foram suspensas. As medidas atingiram quatro entidades privadas e públicas. Segundo o editorial pela primeira vez o MEC atuou com rigor com esta modalidade de ensino.

Lembrando que o ensino a distância oferece cursos ao nível de graduação e pós graduação, com a característica de que o aluno tem que desenvolver atividades idênticas aos cursos convencionais, no entanto, a maior parte destas atividades pode ser desenvolvidas a distância utilizando recursos como internet, via satélite em salas equipadas com monitor de tv ou em teleconferências. Estes cursos oferecem ainda apostilas e livros e contam com tutores que auxiliam os alunos a desenvolverem o programa. Muitas das atividades são presenciais como as avaliações periódicas por exemplo.

Este tipo de ensino tem aumentado vertiginosamente o número de cursos e alunos matriculados, em 2000  existiam 10 cursos de graduação com 8.000 alunos matriculados, em 2008 já este estavam credenciados no MEC 349 cursos com mais de 430.000 alunos.

Segundo o “Estadão” estes cursos oferecem formação superior e especializada principalmente a pessoas residentes longe dos grandes centros e “apresentam uma qualidade equivalente aos cursos de graduação e pós-graduação convencionais, que exigem presença diária dos alunos em sala de aula. A constatação que surpreendeu quem vê com reservas os chamados cursos não presenciais, foi feita pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais. Segundo o órgão, os estudantes deste tipo de ensino obtiveram uma pontuação SUPERIOR  à dos alunos dos cursos convencionais em 7 das 13 áreas de conhecimento no último Exame de Desempenho dos Estudantes(ENADE).”

O mesmo editorial completa “Diante da importância  da educação a distância num pais tão extenso e desigual como o nosso, a iniciativa do MEC de… tentar preservar a qualidade desse tipo de ensino merece aplauso.”

Podemos observar através deste editorial que o ensino a distância é uma realidade e que oferece os avanços tecnológicos como forma de melhorar os recursos didáticos existentes aumentando a qualidade do ensino(como podemos observar pelos resultados do ENADE) e oferecendo oportunidades a pessoas que não poderiam sonhar com o aperfeiçoamento técnico e científico.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s